Primary tabs

Campeão do 2020 investe 60 milhões

O grupo Ghost de Viana do Castelo, fabricante e distribuidor de produtos de higiene pessoal para criança e adulto, vai investir cerca de 60 milhões de euros, em 2017, fruto de três candidaturas a fundos comunitários, e enveredará pelos produtos para o público feminino.

Detentor das empresas Suavecel (papel higiénico, rolos de cozinha, guardanapos e lenços de papel), Fortissue (matéria-prima: papel e cartão) e Nunex Worldwide (fraldas de criança e adulto), é um “campeão” de investimento no Portugal 2020 e prevê, até 2018, lançar novos produtos e ampliar toda a sua produção, somando cerca de uma centena de postos de trabalho aos atuais 230, e atingir os 100 milhões de euros na faturação.

O grupo iniciará a produção de novos produtos, entre os quais, uma “fralda ultraslim” para criança, inovadora pela sua capacidade de absorção e espessura (duas vezes inferior às que produz atualmente) e que lhe valeu o prémio europeu de inovação na categoria de Baby Care no salão Wabel 2016.

Para já, o “gigante” da transformação de papel em Viana do Castelo e que produz as únicas fraldas 100% portuguesas, prepara-se para fechar o ano com um crescimento de “entre 10 a 30%” na faturação que, em 2015, foi de mais de 50 milhões de euros.

Diversificar e inovar 

“Falta-nos ainda concretizar um grande negócio, mas deveremos faturar cerca de 75 milhões de euros em 2016”, afirma Nuno Ribeiro, o empresário fundador do grupo, em 1996, que agora está focado no “outro ano importante para o grupo” que vem a caminho. “Temos planeados investimentos importantes nas três fábricas, à volta de 60 milhões de euros, para diversificação de produção. Além das fraldas de criança e de adulto, que temos neste momento, vamos começar a produzir pensos higiénicos, resguardos de cama, toalhitas e talvez tampões. Pelo menos, os três primeiros produtos já estão adjudicados”, declarou empresário, garantindo: “Depois das fraldas de criança, seremos inovadores também com os pensos higiénicos. Não há ainda nenhum produzido em Portugal”. 

Do rol de investimentos constam a renovação de equipamentos e a criação de novas linhas de produção de lenços de papel, guardanapos e toalhas de mão, na Suavecel, a “automatização” da fábrica Fortissue e a substituição e abertura de novas linhas de produção na Nunex.  

“Somos campeões na região Norte em termos de projetos do Portugal 2020. Somos grandes consumidores de fundos comunitários”, comenta Nuno Ribeiro. Logo que os investimentos estiverem concluídos, no final de 2017, serão acrescentados “à volta de 100 postos de trabalho” e atingido um total de 30 referências. “Conto, em 2018, já dar um salto bastante grande. Acredito que será um ano para faturar acima dos 100 milhões”, afirma. 

Atualmente, o grupo exporta para destinos como França, Inglaterra, Noruega, Marrocos ou China e está a abordar países como Alemanha, Colômbia, Venezuela, Cuba e Nigéria. Uma das novas apostas do grupo está nas marcas brancas, segundo Nuno Ribeiro, “um nicho de mercado deixado pelos grandes grupos internacionais”. Do grupo faz ainda parte uma empresa de manutenção das três principais, a Magnetifólio.

Fonte: Jornal de Notícias
 

Publicações sugeridas

APOIO COMPETE 2020 - INTERNACIONALIZAÇÃO

Suavecel - Indústria Transformadora de Papel, S.A. congratula-se de ter o reconhecimento do Compete 2020 da valia e Mérito do Projeto de Internacionalização apresentado ao Aviso 19/SI/2015.

PME Connect Entrevista com Nuno Ribeiro, CEO da Suavecel

Notícias

Entrevistamos o Nuno Ribeiro, Fundador e Administrador Único da Suavecel sobre as suas experiências e perspetivas de liderar uma empresa Portuguesa de sucesso.